Como lidar com a procrastinação

Há alguns anos me deparei com um TED talk que mudou minha vida, ou melhor, que mudou o jeito que eu vejo minha vida. Eu o considero o melhor TED talk que existe, pois nunca alguém foi tão capaz de me descrever como Tim Urban o fez. O tema da palestra era procrastinação e assim como o blogueiro palestrante eu sou uma procrastinadora nata.

Urban destacou, com muito bom humor, como funciona a vida de um procrastinador e o ciclo vicioso onde vive, mas acima de tudo ele apontou o grande problema da procrastinação: o desperdício de vida.

Baseado no post de Tim, do qual saiu sua palestra, vou explicar mais ou menos o ciclo vicioso em que a procrastinação nos coloca: Você tem uma tarefa -> procrastina -> na última hora lembra que tem um prazo para entregar a tarefa -> realiza a tarefa em tempo recorde - > entrega a tarefa. Porém, a pergunta de Tim ao fim da palestra foi: "o que fazemos então com aquelas tarefas que estamos procrastinando, que temos vontade de realizar, mas nunca realizamos? Tarefas que não tem um prazo determinado, um chefe esperando ou data de entrega. São aqueles projetos pessoais, sonhos que muitas vezes esquecemos de tirar do papel ou sempre arranjamos uma nova desculpa para não realiza-los agora".

Entendendo a procrastinação

Com isso em mente, resolvi fazer uma breve pesquisa em minhas redes sociais, para ver se meus amigos e seguidores estavam no mesmo barco que eu. 120 pessoas participaram e estas foram as respostas que obtive: 62% das pessoas se consideram procrastinadoras; 38% disseram que o que eles procrastinam são atividades voltadas para o âmbito dos sonhos e desejos pessoais. Já 27% disseram que procrastinam apenas quando diz respeito à área profissional e 35% procrastinam em ambas as áreas, pessoal e profissional.
O que fica mais interessante é o dado a seguir: 73% disseram que têm algo que gostariam de tirar do papel e estão procrastinando já faz um tempo. Como mudar esse cenário?

No fim da pesquisa coloquei a seguinte pergunta: “O que você gostaria de lembrar quando está procrastinando?” E as respostas que vieram para essa pergunta foram incríveis. Vou dividir algumas delas com vocês:
“O tempo é curto, se não fizer nada o sonho não se realiza”;
“Seu sonho está ficando cada vez mais longe”;
“Só eu posso fazer isso por mim!”;
“Que quando não trabalhamos pelos nossos sonhos, nos pagam pouco pra trabalhar pelo deles”;
“Eu/meus sonhos merecem o mesmo empenho que eu coloco no meu trabalho”;

Mas as campeãs foram:
“Você consegue”;
“A vida é curta, faça agora”;

Percebi que há dois tipos de procrastinação entre os participante da pesquisa: Os que se frustram ao ver a procrastinação tomar conta de seus dias e que se deixarem seus desejos para depois, podem passar a vida sem realizá-los; e aqueles que procrastinam por medo de não conseguirem atingir seus objetivos, e por esse motivo, nem tentam.

Por coincidência, uma amiga me enviou um artigo enquanto eu fazia minha pesquisa e percebi o quanto ele estava relacionado às minhas descobertas recentes. Essa artigo foi escrito por um psicólogo e professor universitário, Devon Price* e ele relata o seguinte: “quando alguém falha em iniciar um projeto com o qual se importa, normalmente é por dois fatores a) ansiedade de suas tentativas não serem ‘boas o suficiente’ ou b) dúvida sobre quais são os primeiros passos para realizar tal atividade”

Ainda segundo o estudo de Price, tendemos a procrastinar quando a atividade é importante para nós ou as atividades que nos importamos em fazer bem. Um dos principais motivos que procrastinamos é o medo de falharmos ou de não saber por onde começarmos a realizar aquele projeto enorme que estamos planejando há tanto tempo. Ainda segundo Price, essa procrastinação não tem nada a ver com desejo ou motivação, mas sim com as barreiras que criamos a partir do medo de que não de certo.

A solução para os que são paralisados pelo medo, é buscar o que está impedindo-o de avançar. Lembrando que são nas atividades que não tem prazo definido, ou seja, não tem aquele sustinho ao estilo “Meu Deus! Preciso entregar esse projeto amanhã!”, onde as maiores frustrações ao procrastinar ocorrem.

Aquela viagem em família que você gostaria de fazer, mas sempre deixa para o ano seguinte; abrir uma empresa e começar um negócio próprio; reformar a casa ou até entrar/sair de um relacionamento. Já percebeu que para essas ações sempre temos uma desculpa? Nunca podemos agora, sempre deixarmos para depois. E se esse depois não vier? Como disse Tim Urban no fim de sua palestra, nosso tempo na Terra realmente é curto! Então está na hora de entender por que procrastinamos e finalmente começar a trabalhar naquele projeto que há tanto deixamos de lado. Mas como?

Passo a passo de como evitar a procrastinação

1- crie metas e prazos limite

Como já disse acima, são as atividades sem metas e prazos que mais são procrastinadas. Sendo assim, um bom começo é criar metas reais e definir um prazo limite para que tal atividade seja realizada, seja ela uma viagem, uma reforma ou até um projeto de uma nova empresa. Lembre-se: trabalhe e coloque todo o empenho para que essas metas e prazos sejam obedecidos. Se quer fazer uma viagem, defina o roteiro e já comece a juntar dinheiro para que ela saia no prazo determinado.

2- É pessimista? É otimista? Não importa! Preveja os imprevistos.

Já colocou no papel suas metas? Qual será seu prazo final? Então volte e pense em tudo que pode dar errado. Estar preparado para imprevistos é uma boa maneira de evitar ficar estagnado e começar a procrastinar novamente. Esteja com uma lista de metas e prazos bem definidos, já incluindo os imprevistos, para passar para o próximo passo!

3- Descubra quais são as barreiras que estão te impedindo de progredir

Como vimos muito da procrastinação vem de barreiras, muitas delas criadas a partir do medo. Descobrir e desconstruir essas barreiras são imprescindíveis para que se possa dar início ao seu sonho, à uma nova rotina ou até mesmo para a conclusão de uma tarefa diária.
Se pergunte: essa desculpa que estou dando para não iniciar ela é real ou é apenas o medo falando?

4- Dê o primeiro passo

Já está com suas metas e prazos definidos? Já pensou sobre suas barreiras? Elas são reais ou são frutos do medo? Se forem reais (ex. Falta de dinheiro) reformule suas metas e inclua a obtenção desses recursos como parte delas. Elas são frutos do medo? Dê o primeiro passo. Não precisa ser um passo gigante, nem que seja um micro passo. O importante é sair da inércia!

5- Não espere estar de bom humor para tirar um projeto do papel

A professora Fuschia Sirois, da Universidade de Sheffield, no Reino Unido, afirma que se esquivar de uma atividade com a desculpa “do humor” é um jeito de mascarar o real motivo pelo qual alguém não quer iniciar uma atividade. Seja por medo de falhar, de decepcionar os outros, de perder autoestima, de não se sair perfeitamente, etc. “É apenas uma forma de lidar com emoções com as quais você está mal preparado para lidar”, explica Fuschia. Se isto estiver acontecendo, volte ao passo número 3.

6- Aproveite a jornada

Deu o primeiro passo? Não pare mais! Curta cada momento e lembre-se dos medos que você venceu, as expectativas que você superou e quanto tempo desperdiçou procrastinando essa nova jornada. Se olhar para uma reforma finalizada, o início de um novo hobby, um projeto que está se concretizando ou um hábito que você mudou na sua vida, aproveite cada momento!

E você, o que está procrastinando? Se estiver pensando em abrir um empresa e mudar sua vida profissional, o HUS coworking é o lugar perfeito para você dar o primeiro passo! Nós amamos ver novos projetos saindo do papel dentro do nosso espaço, afinal nosso objetivo é fazer você criar, se conectar e crescer!

*Devon Price é americano e não binário. Na língua inglesa ele se identifica como (They/Them). Na língua portuguesa somos limitados quanto ao gênero neutro e por este motivo foram usados no artigo os artigos masculinos e o pronome “ele”.