PNL e Linguagem Corporal

*Este texto está baseado nas teorias de Pierre Weil e Roland Tompakow que escreveram o livro “O corpo fala”. Este livro é recomendado nas escolas de administração, comunicação, teatro, jornalismo, medicina, serviço social, entre outros.

 

Estamos chegando ao fim da nossa série sobre PNL. Espero que você tenha gostado de nossas dicas até agora! Neste texto, abordarei um pouco sobre linguagem corporal. Já venho citando a linguagem corporal há algum tempo e espero que você já tenha percebido sua devida importância.

Saber interpretar alguns sinais em relação à linguagem corporal de um interlocutor é fundamental, não apenas, quando falamos de negócios, mas também em nossas vidas pessoais. Vou dar algumas dicas de como interpretar alguns sinais que são formas de comunicação insconsciente.

Então, vamos lá?

 

Símbolos

Símbolos são ferramentas criadas como forma de representar e interpretar algo abstrato. O ser humano usa símbolos desde o início de sua história para se comunicar. Estou usando símbolos neste exato momento para me comunicar com você, leitor.

Para darmos início à nossa interpretação, usarei animais como símbolos didáticos. 

Existe uma tradição antiga segundo a qual cada uma destas partes do físico humano é também sua correspondência psicológica:

 

Boi -> Abdômen -> Vida instintiva e vegetativa

Leão -> Tórax -> Vida emocional

Águia -> Cabeça -> Vida mental (intelectual e espiritual)

Homem = Conjunto; consciência e domínio dos três inconscientes anteriores. 

 

O boi quando colocado em evidência na nossa expressão corporal, tende a se traduzir por uma acentuação do abdômen. A pessoa “avança” o abdômen.

Como identificar

Observe em uma festa: Um senhor com o abdômen hipertrofiado, olhando intensamente para o conteúdo de seu prato. Com a linguagem de seu corpo, mostra o que se passa na esfera da sua vida instintiva e vegetativa.

 

O leão se evidencia pelo tórax, onde fica o coração. Muitos estudiosos o consideram como o centro do “EU”.

Como identificar 

Quando há uma postura de preponderância do tórax, há uma preponderância do EU. São pessoas vaidosas, egocêntricas e extremamente narcisistas.

Observe: Em uma discussão quando um estufa o peito, quer mostrar superioridade, quer se impor.

O contrário também é real. Quanto o tórax está encolhido, há uma diminuição do EU. Estamos diante de pessoas tímidas, submissas, retraídas ou que se sentem dominadas diante de alguma situação.

Já um tórax em posição normal, mostra um EU equilibrado.

Podemos observar também o estado emocional em que a pessoa se encontra apenas observando seu tórax.

  • aumento da respiração = tensão; forte emoção.
  • Suspiros = ansiedade; angústia.

 

Já a águia, representada pela cabeça, nos indica ligação corpo e mente.

O que observar: Cabeça erguida = hipertrofia do controle mental. Já a cabeça baixa = indivíduo controlado por estímulos externos. A cabeça em posição normal indica um controle equilibrado entre corpo e mente.

Como identificar

Nós, ocidentais, temos a tendência de observarmos a cabeça das pessoas. Essa prática torna esta identificação mais fácil, quase natural.

Voltaremos à novas análises em breve.

 

Análise de uma face

Como já citado acima, nós ocidentais temos a tendência de olhar e dar muita importância para a cabeça. Nosso próximo objeto de análise está exatamente localizado neste região. Falaremos um pouco sobre o sorriso.

Na própria cabeça, vemos os três animais representados. O leão = nariz: onde entra o oxigênio para o tórax. O boi = boca: onde entram alimentos para a barriga. A águia = olhos: a janela da alma ou o espelho da mente, como preferir.

A região dos olhos é uma das mais expressivas. Quem nunca conseguiu identificar sentimentos de outras pessoas apenas ao olhar os olhos delas? Ou quem nunca comentou sobre a falta de expressividade de alguém que fez botox na região dos olhos e/ou testa?

- Sobrancelhas abaixadas = concentração, seriedade, reflexão.

- Sobrancelha levantadas = surpresa, espanto, alegria.

- Olhos brilhante = entusiasmo, alegria.

- Olhos baços = desânimo, tristeza.

 

Podemos ver algo parecido ao olharmos para os lábios.

- Arqueados para cima = prazer, alegria, satisfação.

- Arqueados para baixo = desprazer, tristeza, insatisfação.

- Em bico = dúvida, contrariedade, raiva ou selfie (brincadeira)

Mas essa bipolaridade expressa em todos os exemplos acima, parece lógica e soa enfadonha. A abundância de expressões possíveis é inúmera. Muitas combinações podem trazer à tona diversos tipos de sentimentos. Vamos imaginar e analisar 3 casos distintos para exemplificar esses ‘combos’.

 

Imaginemos a seguinte cena:

Em um bar temos o indivíduo A sentado em uma mesa. Ele está curvado sobre ela, apoiado com os cotovelos e suas mãos sustentam sua cabeça. Seus olhos estão semi-cerrados e seus lábios arcados para cima no canto de sua boca. Ele vê o garçom, indivíduo B, se aproximando com uma bandeja cheia. Quando o garçom passa por ele, o indivíduo A estica a perna e o faz cair.

Ao cair no chão e derrubar tudo que estava em suas mãos, o garçom ergue a cabeça com um sorriso unilateral, os olhos bem abertos e as sobrancelhas levantadas. Sua cabeça está levemente inclinada para a direita.

Enquanto isso, um indivíduo C está apoiado com as costas para o balcão do bar com um de seus cotovelos. No outro braço o vemos segurando uma taça de vinho. Seu corpo está arqueado para frente, sua cabeça erguida. Seu queixo aponta para o alto, seus lábios arqueados para cima, olhos fechados e sobrancelhas levantada.

Primeiramente: qual a principal característica de um sorriso? Cantos da boca para cima? Certo.

Agora que já temos a cena em mente, vamos analisar cada indivíduo, suas reações e expressões.

 

Indivíduo A

  • Lábios: cantos para cima, basicamente um sorriso, porém na parte central estão comprimidos, propósito firme.
  • Costas encurvadas: cabeça encolhida entre os ombros e escondidas atrás de suas mãos. Atitude de um animal à espreita de um inimigo; Agressividade.
  • Músculo orbicular das pálpebras contraído: observação aguda, firme.
  • Queixo apoiado nas mãos: paciente, desafiador.

Resultado = neste sorriso o que identificamos é maldade.

 

Indivíduo B

  • Lábios: meio sorriso unilateral, lábio superior elevado porém em contração: amargura, senso de futilidade.
  • Sobrancelhas arqueadas para cima: surpresa.

Resultado = Neste sorriso identificamos resignação.

 

Indivíduo C

  • Lábios: canto curvo do sorriso básico.
  • Tórax: Salientado; demonstra orgulho, superioridade.
  • Músculo do nariz contraído: desgosto.
  • Olhos: Orbicular contraído combinado com forntal contraído para cima: censura.
  • Tronco inclinado para trás: desaprovação.

Resultado = Neste sorriso identificamos desprezo.

 

Três sorrisos, três diferentes interpretações. Mas como identificar o sorriso básico que demonstra felicidade?

Quando alguém sorri como sinal de alegria, todo seu rosto e seu corpo são elevados. Os lábios se curvam para cima, as sobrancelhas se arcam para cima, seus olhos abrem e seu tronco se abre.

 

Origens dos gestos

“Quando em grupo, nossa linguagem corporal anseia por afirmar o nosso eu.”

Quem nunca se pegou imitando o jeito de algum amigo falar ou até mesmo de se mover? Quando se está em grupo, é muito comum acabar sendo influenciado pelo comportamento dele e, por sua vez, influencia-lo.

Na escala de valores da vida, buscamos a autopreservação em primeiro lugar, SEMPRE. Em todo nosso comportamento interpessoal, sempre buscamos evitar ansiedades, rejeições… Sempre buscamos apreciação, afirmação, concordância.

Muitas vezes buscamos impor nossa existência, inconscientemente, através de nossos gestos e nossas expressões. Quando inclinamos nosso corpo para frente, por exemplo, durante um discurso. E a recepção dessa mensagem, como um todo, será através de um dispositivo psicofisiológico.

 

PNL

A leitura corporal pode ser realizada consciente ou inconscientemente. Buscamos demonstrar aqui um pouco de como nosso corpo fala por si só e como saber ler esses sinais podem nos mostrar um mundo além da linguagem.

Seguindo os princípios da PNL, podemos perceber que mesmo com leituras de mundo diferentes é possível chegar mais próximo de um interlocutor através da linguagem corporal. Principalmente se entendermos como nosso corpo conversa por conta própria. Se nos aprofundarmos em aprender mais sobre a linguagem do corpo, teremos resultados melhores tanto na vida pessoal quanto na vida profissional.

 

E aí? Ficou interessado em saber mais? É só procurar pelo livro “O corpo fala” na biblioteca do HUS, localizada no SPOT!

 

Livro "O corpo fala" disponível na biblioteca do HUS